tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

sexta-feira, agosto 23, 2019

A violência tem origem no pecado

Por Célio Barcellos

O problema da violência é algo que assusta o mundo. As atrocidades cometidas por um ser humano contra outro, soa comportamentos demoníacos. As atitudes macabras e totalmente insanas, mostram que a origem do problema não é somente social, mas também de natureza espiritual. Em se tratando de psicopatia por exemplo, a psiquiatra Ana Beatriz Barbosa entrevistada para o The Noite de 23/07/19, disse que, psicopatas nascem prontos, são frios e calculistas; sentem prazer na maldade e não possuem nenhum sentimento de piedade pelo outro. 
Pensando nas palavras da psiquiatra, vale mencionar o que disse Ellen White, educadora cristã do século 19: “Em regra, o filhos herdam as disposições e tendências dos pais, e imitam-lhes o exemplo, de modo que os pecados dos pais são praticados pelos filhos de geração em geração” (Patriarcas e Profetas, 118). Será que se o ser humano desse uma atenção aos aspectos espirituais e reconhecesse a existência do pecado, não seria mais produtiva as ações contra o mal?
No geral, os especialistas sabem que há indivíduos que não tem solução. O problema é que as chamadas políticas públicas nem sempre corroboram com a visão de especialistas. No Brasil por exemplo, muitos indivíduos deveriam estar isolados devido a sua complexidade. São pessoas de alta periculosidade que cometem ou cometeram crimes. E há os reincidentes que olhada a lista de suas atrocidades, certamente não as teriam praticado se de fato estivessem isolados. 
Pois bem, apesar de todo esforço de profissionais para decifrar a mente e o comportamento das pessoas, o trabalho de voluntários das entidades públicas e privadas em busca de soluções, nem sempre observam que o ser humano precisa também ser olhado do ponto de vista do pecado. O detalhe é que ao invés das pessoas levarem isso a sério, começam a brincar e a fazer piadas acerca das histórias da Bíblia, colocando-as ao nível de lendas e anedotas.
Deus criou um Planeta maravilhoso e o ser humano conseguiu estragar. Infelizmente, através do pecado de Adão, o gene da maldade passou a todos os homens. Deve ter sido muito amargo para Adão quando viu o seu filho estirado no chão, morto violentamente por um outro filho (Gn 4:8). Adão foi o pioneiro a sentir o quanto o pecado é uma desgraça. Imagina o arrependimento que sentiu!
Do ponto de vista psiquiátrico, imagino que Caim pode ser considerado um psicopata. De acordo com o Comentário Bíblico Adventista, Caim “não sentiu remorso nem arrependimento, mas apenas o pesado fardo do desagrado de Deus” (CBA, 228). Na entrevista ao The Noite, Ana Beatriz Barbosa ainda menciona que um pedófilo por exemplo não pratica a barbaridade em público, pois ele sabe que o que está fazendo é  errado e isto causará o desagrado das pessoas. 
Infelizmente, ao Adão desobedecer a Deus, ele tornou-se filho do diabo. A imagem de Deus que havia no ser humano, foi "obliterada". E tudo de ruim que conhecemos vem da hereditariedade do mal. Apesar de tudo isso, não devemos desistir das pessoas. Deus nunca desistiu do ser humano. A prova disso, foi a busca por Adão e a morte cruel do Seu Filho na cruz (Jo 3:16) para redimir o homem.
Um dia tudo isso acabará. O mundo do futuro será um oásis pleno. Enquanto esse dia não chega, precisamos acreditar na transformação das pessoas, inclusive da nossa própria transformação, pois os demônios internos de cada um, constantemente perturbam para a maldade. E ai de nós se não fosse a bondade de Deus que intervém em muitas coisas horríveis que cada ser humano tem vontade de fazer. 
 Do ponto de vista social é importantíssima a mudança na vida de alguém. No entanto, é preciso focar na ferida maior, chamada pecado. A Bíblia diz que Jesus é a solução para o pecado. E de acordo com Ellen White, a verdadeira conversão operada pelo Espírito é capaz de mudar tendências hereditárias. 
Louvado seja Deus que em Cristo há ESPERANÇA até para aquilo que não tem jeito.  

domingo, agosto 11, 2019

Ser pai é participar


Por Célio Barcellos

Ser pai, não é simplesmente colocar uma criança no mundo.
Ser pai é participar ativamente do desenvolvimento dessa criança.
É ser o amigo e protetor. Um guardião. Um verdadeiro "cão de guarda”.
Aquele que brinca, rir, chora e também dá broncas quando necessário.

Um pai presente é a maior dádiva para um filho.
Infelizmente, há homens que não honram a paternidade.
Abandonam os filhos e os deixam à mercê de predadores sanguinários.
Ai dos filhos se não fossem os anjos que Deus envia para os proteger!

Se você é pai, viva a paternidade! 
Não permita que outro assuma o seu lugar. Ainde que distante, seja presente.
Esteja com o seu filho! Seja por telefone, Facebook ou por Skype, mas esteja.
A vida é muito breve e logo o seu filho estará sozinho. Que legado deixará pra ele?

Pois é papai… Se ainda não parou para pensar nisso, que reflita agora. Já!
Não deixe para amanhã o que se pode fazer hoje. 
Além de ser presente, também precisa ser o direcionador do seu garoto. 
Aquele que pavimenta o caminho para que ele vá mais longe e chegue até ao Céu.

Um pai que ensina e que ajuda o filho a se desviar dos perigos no caminho.
Um pai animado para os momentos difíceis. Um pai que inspire sempre!
Um pai que sonhe junto o sonho do filho. Um pai que o ajude a chegar lá!
Um pai que ora e intercede sempre pelo filho.

Sabe pai! Busque amparo sempre no Papai do Céu.
Entregue o seu filho aos cuidados dEle. 
Até porque, qualquer dia desses, Ele virá buscar todos os filhinhos…
E você, apesar de pai, também é filho de Deus.

Feliz dia dos Pais!




segunda-feira, julho 29, 2019

Eu não sou mais eu


Por Célio Barcellos
Estava eu e centenas de pessoas assentados na imensa igreja do Centro Universitário Adventista de São Paulo, no município de Engenheiro Coelho por ocasião do II Simpósio de Mordomia, denominado Frutos da Fidelidade. Naquele recinto, o jovem Josanan Júnior, discorreu acerca da TRANSFORMAÇÃO. Citando Gênesis 1:26, aquele pregador abordou sobre o egoísmo de Adão ao jogar tudo fora em função do pecado.
Eu estava tão vidrado no assunto, que, ao ele mencionar as frases: “Se o corpo fosse meu”; “Se o tempo fosse meu”; “Se o talento fosse meu” e “Se o tesouro fosse meu”… viajei tanto, que deu tempo até de lembrar da cronista brasileira, Clarisse Lispector quando do seu texto “Se eu fosse eu”. 
A fantástica Clarice no final dos anos 60, escreveu para o Jornal do Brasil a crônica “Se eu fosse eu”. Imagino que ela estava falando da luta consigo mesma para manter a compostura. Ou seja: o dilema de todo ser humano em frear as suas reais intenções que se manifestadas, ninguém suportaria. Filha de judeus russos, Clarisse nasceu na Ucrânia, mas veio ainda bebê para o Brasil. Certamente, como judia, ela escutou muito acerca de (YHWH), o Deus adorado pelos judeus.
Fiquei a imaginar se Clarisse e tantos outros gênios da literatura estivessem passivamente naquele Simpósio. Se eles tivessem ouvido o Nilton Aguiar, falar que "Deus deve ser o ouro do coração humano” e que a “mordomia move a missão”. Eu creio que eles escreveriam coisas mais fantásticas ainda. Eu imagino, se eles tivessem a real percepção do que havia no coração de Jó e dos demais fiéis, esses monstros da literatura teriam escrito além do cotidiano e sem os fortes dilemas existenciais. É provável que grande parte dos seus direitos autorais seriam destinados para a missão do evangelho.
Quando o Arthur Stele disse que “Deus é dono de tudo”, viajei pensando não somente na Clarisse, mas em mim mesmo. Por um momento, lembrei-me que por muitas vezes, achei que o meu "corpo" fosse meu; que o “tempo" fosse meu; que o “talento" fosse meu e até que o “tesouro" fosse meu. Infelizmente, por achar isso, acabei fazendo coisas como “se eu fosse eu”. Você já parou para pensar "se você fosse você" como disse a Clarisse?  Ninguém nos suportaria! 
Ainda bem que o Espírito Santo é capaz de pegar o “eu" do “se eu fosse eu” e transformá-lo em uma criatura que não mais vive para si, mas que deixa Cristo viver por ela (Gl 2:20). Então, pensei: há chance para mim. Ah, e para você também! No entanto, é preciso ter a consciência de que nada é fácil, e o “se eu fosse eu” estará sempre querendo dominar a mente e se rebelar contra Cristo.
Quando o “se o meu corpo fosse meu” me importunar para a transgressão, que O Cristo que vive em mim, me livre; quando o “se o tempo fosse meu”, me envolver nas teias do entretenimento e até da transgressão do sábado, que O Cristo que vive em mim, me livre; quando o “se o talento fosse meu”, me conduzir ao estrelismo e até mesmo a negar o dom de Deus, que O Cristo que vive em mim, me livre; e quando o “se eu fosse eu”, me forçar a roubar os dízimos e negligenciar nas ofertas, que O Cristo que vive em mim, me liberte. 
Após esse Simpósio, cheguei à conclusão que continuarei a ler Clarisse e demais escritores. Porém, indiscutivelmente, quero ler mais a Bíblia e quem escreve acerca dela. Mas não quero ser somente um leitor anestesiado nos dilemas do “se eu fosse eu”. Quero que a as palavras da Bíblia façam morada em minha vida para que eu seja fiel a Deus, dando frutos da fidelidade à semelhança de Jó e dos gigantes da fé. 
Gosto muito de Clarisse, mas amo muito mais a Cristo. Compreendi que sem Ele, o “eu" continua me atormentando para o “se eu fosse eu”. E como estou nesta terra e já sei de onde vim e para onde vou, não permitirei o meu “eu” ser o que ele quer, mas deixar Cristo conduzir os passos. Ah, sabe por que os homens da Bíblia foram felizes e fieis? Porque eles não foram eles, mas porque permitiram ser, aquilo que Deus queria. 

 

domingo, julho 21, 2019

Festa com sabor de mel

Por Célio Barcellos
Ontem, 20 de julho, dia em que foi lembrado dos 50 anos da ida do homem à lua, no Distrito de Pirassununga teve muitas bençãos. Pirassununga contou com a distinta presença do casal Erlo e Verli Braun. Ele pastor geral da Associação Paulista Central (APaC) e ela líder do Ministério da Mulher e também da Associação Feminina de apoio ao Ministério (AFAM), que atende as líderes das igrejas e as esposas dos pastores.
Pr. Erlo pregando na Central de Pirassununga
Verli Braun entre Kelly Schmmak (Distrital MM) e Salomé Barcellos (minha esposa)
O casal esteve na igreja da Zona Norte e em seguida na Central, ambas na cidade de Pirassununga. Tendo como base o texto de (Isaias 49:1,2), o Pr. Erlo conclamou a igreja para estar disponível à atuação do poder de Deus e se deixar usar por Ele, pois o Senhor tem o conhecimento e controle de todas as coisas. Ainda teve a linda festa batismal quando: Anita, Fátima, Elizabeth e Márcia desceram às águas. 


A igreja Central de Pirassunga, bem como a de Santa Rita do Passa Quatro, foram decoradas com as cores do Projeto Mel. Projeto esse, que visa um melhor envolvimento do Ministério da Mulher (MM) nas atividades sociais e missionárias da igreja. Tanto a Kelly Schmmak, líder distrital do MM e Márcia Mendes, diretora em Santa Rita do Passa Quatro, foram, juntamente com suas equipes, brilhantes na ornamentação. 
Se pela manhã foi uma festa, à tarde, na cidade de Santa Rita do Passa Quatro não foi diferente. Por volta das 15:00 teve início um treinamento sobre Recepção, ministrado pela Verli Braun. Com a representatividade dos líderes de cinco Igrejas, das seis que formam o Distrito. Na sequência, apresentação da pequena Maria, filha da Manuela; que logo em seguida à pregação do Pr. Erlo, foi batizada. A Manú como é conhecida, é fruto da amizade com a Márcia Mendes. 
Após a programação, teve um momento de confraternização com bastante comida. Um momento em que membros e visitantes puderam ter um pouco de interação e aproximação. Como se tratava do Projeto Mel, uma outra Márcia que estava de passagem por nossa igreja, utilizando os seus talentos, se encarregou de ornamentar uns cupcakes em formatos de abelhas com bastante criatividade.  
       Assim, após a programação, retornamos para as nossas casas não com uma sensação de mais um evento, mas com a certeza de que ao fazer a obra, tudo pode ser muito bem aproveitado para Deus. Especialmente por ter pessoas sendo salvas para o Reino. 
            Se há 50 anos, o homem foi capaz de pisar na lua e dar um "salto gigantesco para a humanidade", tenha a certeza de que quando Jesus retornar, há passos inimagináveis que os salvos darão na companhia do "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo"(João 1:29)


ARTIGOS ESPECIAIS -:)