tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

quarta-feira, novembro 14, 2018

ASES 10 anos


Por Célio Barcellos

       Na manhã desta quarta-feira (14/11/18), foram inaugurados no território da Associação Sul Espírito Santense (ASES), o auditório da Escola Adventista de Campo Grande com capacidade para mil lugares e a Livraria Novo Tempo. Ambas as construções ficam localizadas na região de Campo Grande, Cariacica. 


As cerimônias contaram com a presença dos administradores da União Sudeste Brasileira (USeB), pastores: Mauricio Lima, Leônidas Guedes e Volnei Porto. Ambos enalteceram o nome de Deus e parabenizaram a administração e empenho de irmãos por esse momento importante.
Alguém pode se perguntar! Qual é a finalidade de  uma igreja investir em escolas e em lojas de produtos diversos? A resposta para esse tipo de pergunta, a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) tem de forma prática, quando contribui com bem-estar físico, mental e espiritual das pessoas, ao entender que essas instituições existem como apoios na pregação do evangelho.


Dez anos após o surgimento da ASES, percebe-se o crescimento extraordinário para a Igreja. Isso pode ser notado na quantidade de Distritos pastorais, aumento de alunos matriculados, literaturas espalhadas, solidez financeira e muitos batismos. Como bem disse o pastor Moisés Junior (presidente da ASES), por ocasião das inaugurações:  "Só tenho a dizer: Ebenezer" - (Palavra que significa: Até aqui nos ajudou o Senhor!).


Realmente, após 174 anos do Grande Desapontamento (veja crônica) é maravilhoso ver uma Igreja que tem como Missão alcançar cada pessoa ao redor do mundo. E nesses 10 anos, a ASES encarnou o compromisso de fazer crescer a Igreja para o Sul do Estado. E Deus tem abençoado esse território. 
Somos gratos a Deus e pedimos a Ele para continuar a abençoar o território da ASES. Também pedimos ao Senhor que continue a capacitar o pastor Moisés como presidente, o pastor Rudney como secretário, o pastor Jander como tesoureiro e todo o corpo ministerial; bem como todos líderes e irmãos de igrejas que fazem acontecer. Que Deus continue a enviar pessoas e recursos para que o avanço do evangelho progrida ainda mais no Sul do Estado do Espírito Santo.
Parabéns Associação Sul Espírito Santense por estar cumprindo a Missão!

sexta-feira, outubro 12, 2018

A amizade salva pessoas


Por Célio Barcellos

     Praticamente todo o ano de 2017, ficamos entre Espírito Santo e São Paulo. A necessidade dessas idas e vindas, foi em função de um problema de saúde em nosso filho mais velho. Deus foi tão maravilhoso, que a médica (Natália de Biagi) que o atendeu e o acompanha  até o momento professa a mesma fé que a nossa.
Nos momentos em que eu aguardava os atendimentos, desenvolvi  amizade com a Selma de Biagi, mãe da médica. Desde então, tivemos empatia e começamos a conversar bastante sobre Missão. À medida em que conversávamos, percebi na Selma, um envolvimento missionário e grande vontade de pregar o evangelho. Juntamente com o seu esposo, Carlos de Biagi, abriram a própria casa para a Missão.


Todas as vezes em que eu levava o garoto para as consultas, nunca deixamos de conversar sobre o evangelho e missão. A recepcionista da clínica, a Sra Iara, também muito envolvida nas atividades, porém especificamente em construção de igrejas, algo que ela faz com muito carinho e desprendimento para o Senhor, também participava das conversas.
Na última terça-feira (09/10/18), novamente precisei levar o meu garoto para avaliações. Quando a Selma Biagi chegou, tão logo começamos a conversar sobre o seu Pequeno Grupo. Na realidade, ela utiliza uma nomenclatura (PEIGES) criada por seu esposo. O significado da sigla é: Pequenas Igrejas Evangelisticas. Literalmente, abrem a casa para receber pessoas com a proposta do Evangelismo da Amizade e por conseguinte, estratégia missionária.

Somente esse ano, o casal Biagi, conduziu 10 pessoas ao batismo. Fiquei radiante e vibrei com a Selma por tão grande desprendimento. Pessoalmente ainda não conheci o Carlos, mas já nos contactamos. 
A iniciativa desse casal é fantástica! Residentes na cidade de Limeira de onde partem para a ação, o casal demonstra total amor e interesse na salvação das pessoas. A estratégia da família Biagi é eficiente, pois ela coloca Deus em primeiro lugar e também envolve outros irmãos para assumirem o "sacerdócio de todos os crentes" como descrito na Palavra de Deus.


Essa família vive o relacionamento e pratica a missão. Como resultado desse trabalho,  pessoas tem se entregado a Cristo. Nas palavras do Carlos, a “amizade é uma ponte onde o evangelho atravessa para Alcançar corações”. Ele ainda menciona, que assim como o alcançaram é o seu dever fazer o mesmo por outros.
Sabe prezado (a) amigo (a)! Faça como o casal Biagi. Se envolva na missão e deixe a sua casa torna-se uma Pequena Igreja Evangelistica. 
Que Deus o abençoe na missão! É tempo de envolvimento!

sexta-feira, setembro 28, 2018

#Jesus Sim


Por Célio Barcellos

De acordo com o capítulo 2 do livro de Daniel, o rei Nabucodonosor teve um sonho apavorante em que desesperadamente procurou os “magos, os encantadores, os feiticeiros e os caldeus” para decifrarem o sonho (v.2). O problema é que o rei não se lembrava de nada acerca do que sonhou. Que tarefa impossível! 
No entanto, nas dependências da Babilônia havia um jovem temente a Deus por nome de Daniel. Esse, ao se encontrar com o rei, pediu tempo ao mesmo e também ajuda aos amigos de oração (Dn2:16,17). Daniel sabia que do ponto de vista humano era impossível revelar o sonho do rei. Porém, ele confiava que no momento certo, Deus mostraria o que de fato aconteceu.
Praticamente 26 séculos se passaram desse acontecimento. O sonho que o rei teve, foi o de uma grande estátua de metal simbolizando os impérios mundiais. Dos versículos 31 ao 45, Daniel se encarrega de falar ao rei, tudo o que Deus havia revelado. Desde a cabeça de ouro, simbolizando a própria Babilônia e em seguida, a Medo/Pérsia, no peitoral de prata, na sequência a Grécia, no ventre de bronze, Roma, nas pernas de ferro e a Europa simbolizando os dedos, mostra a exatidão profética de Daniel.
Mas de acordo com Daniel, essa estátua seria destruída sem o auxílio de mãos (v.45). A pedra vinda do alto sem o auxílio de mãos, representa o Reino de Deus implantado para sempre. As Escrituras mencionam que o Reino de Deus já começou (Lc 17:20,21)!  E se já começou, por que não confiamos mais em Deus e em Seu Reino?
A partir do capítulo 7 de Daniel, especialmente os capítulos 7 e 8, a perspectiva já muda para animais. Ao invés do rei da Babilônia sonhar, agora é o próprio Daniel quem recebe de Deus as revelações para mostrar a todos os povos o desenrolar dos fatos e que em breve tudo terá o seu fim.
A solução para o Brasil e para o mundo não é a DIREITA nem a ESQUERDA, muito menos o CENTRÃO. Infelizmente o que se vê é uma luta por poder e interesses pessoais que tem envolvido inclusive a igreja na jogada. Os problemas tem acirrado tanto os ânimos que muitos cristãos deram um tempo da pregação do evangelho para se tornarem militantes partidários.
Não existe salvador da Pátria! O único Salvador chama-se JESUS. Ele já fez a parte dEle morrendo para salvar a humanidade. O problema é que muitos da humanidade tem virado as costas para Ele e já fizeram as suas escolhas. Faça o seguinte: cumpra a sua cidadania para o bem e deixa o resto com Deus. Logo, os Céus se abrirão e aquela pedra sem auxilio de mãos mencionada pelo profeta, dará fim a todo o mal que assola a terra. 
Fique alerta! A escolha não tem que ver com partidos, mas com destino eternos.
#Jesus Breve Virá! #Maranata!  #Jesus Sim

segunda-feira, setembro 10, 2018

Que semana!


Por Célio Barcellos

No domingo 02 de setembro por volta das 22:00, quando eu retornava para casa ouvindo a CBN, me assustei com a triste notícia do incêndio ocorrido no Museu Nacional. Em menos de 24 horas, 200 anos de história se perderam sob chamas cruéis que não pouparam essa riqueza incalculável dos brasileiros. De acordo com os veículos de informação, foram cerca de 20 milhões de itens danificados e destruídos. 
Já na quinta-feira (06), por volta das 17:00, enquanto eu levava o meu filho para a terapia e também ligado na CBN, fui informado do esfaqueamento do candidato a presidência da República Jair Bolsonaro. Que semana horrível! Praticamente teve início com notícia ruim e terminou com péssima notícia. Na realidade, o brasileiro já não se assusta tanto, pois esse tipo de notícia se tornou corriqueira. 
Infelizmente, o momento político atual tem causado uma polarização entre direita e esquerda a ponto dos ânimos se acirrarem.  A luta pelo poder gera desconforto na sociedade. São palavrões, desrespeito, agressões e até ameaças de morte, quando discursos inflamados de ambos os lados promovem uma verdadeira guerra.
Ao longo de sua história, o Brasil teve diversos conflitos sangrentos que deixaram muitas cicatrizes. No entanto, levando em consideração a época em que vivemos, não deveria haver espaço para as barbáries que insistem em dividir o País. Se tão somente, cada brasileiro cumprisse com as suas obrigações e pensasse no bem-estar da nação, certamente o clima seria outro.
Normalmente, quando se luta por uma Pátria, há sempre derramamento de sangue. No entanto, já temos uma Pátria. O que precisamos fazer é tornar esse lugar, o melhor possível para viver. Não existe a necessidade de derramamento de sangue e sim de um pacto de civilidade entre todos. 
Há 129 anos, o Brasil optou por escolher a República como modelo de governo.  O modelo não é perfeito, mas é o que temos. O gigante Brasil com os seus cerca 200 milhões de habitantes e de dimensões continentais, não deve jamais cair na besteira de querer resolver tudo na bala ou no facão. Não somos trogloditas e nem fazemos partes de etnias Tútisis ou Hutus, mas da nação brasileira.
Para refrescar a memória, nos anos 90 em Huanda, as etnias Tútisis e Hutus, desencadearam uma guerra civil de proporções inimagináveis a ponto de irmão matar irmão, marido matar esposa, filho matar o pai, enfim… uma verdadeira guerra nacional. O resultado foi 1 milhão de mortos e um Estado lastimável, pois tanto as instituições civis, militares e religiosas nutriram ódio capaz de destruição. 
Num mundo tecnológico em que cada cidadão é protagonista da notícia, deveria existir maior cuidado e responsabilidade de todos. Especialmente dos líderes dessa nação. Qualquer pessoa que exerça um cargo de liderança deve olhar como um todo. É preciso considerar que a multidão é formada por mentes e cada mente é um universo, cheia de coisas boas e ruins. 

Portanto, seja um brasileiro capaz. Não dependa dos favores e promessas. Eles podem até nutrir sonhos e fantasias, mas geram terríveis conflitos reais. Procure exercer a sua cidadania sem necessariamente se envolver em confusões. Se cada brasileiro fizer a sua parte escolhendo bem e os eleitos cumprirem fielmente para o bem, certamente os gritos se equalizarão, pois tanto o Estado quanto o seu povo se entenderam.

ARTIGOS ESPECIAIS -:)