tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

segunda-feira, outubro 21, 2019

Escola de Liderança - educação continuada


Por Célio Barcellos
Quando alguém tem um sonho grandioso, certamente ele ora a Deus, planeja com total disciplina e vende esse sonho com o maior entusiasmo. Nós vemos isso na vida de Neemias, quando do período da restauração dos muros de Jerusalém (Neemias 2:11-20). Ele acreditou no impossível, se planejou, contou com a confiança de Deus e partiu para a ação. 
No contexto do nosso século, muitas vezes não paramos para analisar os muitos Neemias empreendedores na causa de Deus. Ao percebermos o avanço do evangelho no mundo, podemos ver nas histórias de pioneirismo os milagres de Deus nas grandes realizações de homens que se gastaram na Obra do Senhor.
No território da Associação Paulista Central (APaC) há um movimento extraordinário que nos últimos cinco anos tem revolucionado a vida dos líderes da igreja. Falo da Escola de Liderança Andrews. Como bem disse o Pr. Antônio Marcos, diretor do Unasp, a Escola da Andrews, é o “mais bem elaborado programa de  formação de liderança no Brasil”. Particularmente, eu ainda não tinha visto nada igual na igreja. 

O sonhador e idealizador desse programa chama-se Erlo Braun. Um capixaba, natural de Laranja da Terra, gabrielense de criação e atualmente pastor geral da APaC. Para muitos, parece ser loucura. Mas se isso for loucura, que ele continue a acreditar na capacitação das pessoas. Erlo Braun ousou em formar parceria com a Andrews University (EUA) e com o Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP) ao criar esse Polo no Brasil.
Ontem (20/10), na formatura da 5 Turma da Escola de Liderança Andrews, Braun destacou o método de Cristo na formação de discípulos e da expansão do Reino (Efésios 4:1). Ele também deu ênfase nos 4 pilares da formação da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD): (1) Igreja Local; (2) Ministério de Publicações; (3) Obra Médico-Missionária e (4) Educação. 
Na continuidade da sua mensagem, ele ainda citou o texto de Oseias 4:6 que menciona o padecimento do povo por falta de conhecimento. No entanto, parafraseando Oseias, ele foi bem enfático ao dizer: “Aqui, na Escola da Andrews não faltará conhecimento. Aqui, na Escola da Andrews, o meu sonho é ver a igreja aprender mais das Escrituras”. 
E de fato foi maravilhoso ver o sorriso dos 1.200 alunos com os seus certificados e vestidos de “beca” adentrarem a Igreja do UNASP. Eram formandos das diversas modalidades: Academia do Plantador; Administração da Saúde e Bem-estar; Empreendedorismo; Liderança Eclesiástica Feminina e tantos outros. Esses cursos de formação continuada, são procurados por membros e por pastores também.

Quero dizer que essa visão de Educação Continua da APaC é sensacional. A administração está de parabéns. O Pr. Jailton, responsável financeiro e o Pr. Steverson, secretário executivo,  têm sido parceiros nesse movimento de capacitação e formação de líderes. A visão é tão empreendedora que já podemos testemunhar o investimento em formação na educação superior de membros de igreja dedicados e cheios de talento. 

Concluindo, empreender não é nada fácil, mas é totalmente satisfatório. Imagino que no coração do Pr. Erlo e dos seus colaboradores, há uma enorme alegria em ver esse movimento crescer. Especialmente, notar discípulos capacitados cheios de entusiasmos para o avanço do Reino e também para a iniciativa em cursar uma faculdade. 
Parabéns APaC! A sua visão de “Ser uma igreja que serve a comunidade enquanto aguarda a volta de Jesus”, é uma realidade, pois ela começa na vida dos membros. Até a próxima turma em 2020! Maranatha!  






sexta-feira, outubro 18, 2019

Há muito fruto na seara


Por Célio Barcellos
Nesta sexta-feira ao retornar de São José do Rio Preto/SP, observei os pastos verdejantes e as diversas plantações. Não tive como não associar o que eu observava com o conteúdo do Evangelismo Integrado de Colheita (EIC). A linguagem do semeador que saiu a semear (Mt 13:3) latejava o meu cérebro, não como algo perturbador, mas como um privilegio de viver do evangelho e compartilhar a Palavra. 
Pastores da UCB presentes no EIC 2019
Sem deixar de reconhecer que o privilégio vem acompanhado da responsabilidade, até porque, quem designou a mim e a tantos outros, foi o Semeador - Mor, Jesus Cristo. Continuei a refletir que a minha obrigação nesse processo é encarar o terreno, preparar o arado, motivar os ajudadores e partir para semear. Se o Senhor Jesus confiou a tarefa é porque mais do que ninguém, Ele sabe  que haverá colheita. 
Eu pude notar isso nitidamente durante esse período em São José do Rio Preto. Todas as noites, pessoas lotavam o auditório. Até o momento, cerca de 500 visitas estiveram presentes no local. Dessas, muitas estão frequentes. Há pessoas que entram num ônibus e viajam 60 Km todas as noites para ouvir a Palavra de Deus. Realmente é um milagre! 

Em um mundo cheio de entretenimento e repleto de tecnologia, de fato é um milagre ver pessoas de todas as idades, irem assistir um pregador. Na verdade, essas pessoas não estão indo por conta própria somente, elas estão sendo conduzidas pelo Espírito Santo. Não podemos desanimar! Devemos ter a coragem de abrir a Palavra de Deus! Onde a Palavra for aberta, haverá pessoas dispostas a ouvir. 
Continuando a olhar da janela enquanto os pastores Raimundo Nonato e Rennan Lenovo conversavam durante o trajeto, eu tirava algumas fotos da paisagem. Além de fazer conexão com as mensagens, também me lembrava dos meus tempos de juvenil, quando acordava de madrugada e seguia na carroceria de caminhão em direção ao trabalho braçal. Já colhi feijão, milho, capinei lavouras, cortei cana e até ajudei numa carvoaria, período em que parte do meu dedo foi esmagado.

Confesso que não aprendi muito da lavoura, mas o suficiente para entender que o alimento sobre a mesa das pessoas é resultado de muito trabalho, pois eu experimentei o que é acordar de madrugada, preparar a marmita e partir para dias de sol escaldantes e de chuva torrenciais. Mesmo o trabalho sendo desconfortável e desgastante, o conjunto formado pela luz, água, solo, adubos e trabalhadores, produzia a sinergia para a colheita.
Isso quer dizer que, no contexto da pregação, nada é fácil. Não espere que a natureza por si só conduza as pessoas para o evangelho. Existe uma enorme seara para poucos ceifeiros (Lc10:2) No entanto, esses poucos trabalhadores usados por Deus, farão coisas extraordinárias. Eles só precisam acreditar e encarar o arado, pois quem os enviou, não foi qualquer um, mas o Dono da seara.


terça-feira, outubro 15, 2019

Há muita gente sofredora


Por Célio Barcellos
Na tarde dessa terça-feira, realizamos visitas para o Encontro Integrado de Evangelismo (EIC), na cidade de São José do Rio Preto/SP. Juntamente comigo estavam: Raimundo Nonato, Rennan Lovo e o jovem Taylor, estudante do 3 ano de teologia do (UNASP). A visita aconteceu na residência do casal Antônio e Maria (nomes fictícios). Ele com 55 anos e ela 49, porém, ambos com a aparência bastante envelhecida.
À medida em que relatavam a experiência de vida, notamos que o pecado e falta de sabedoria acarretaram enormes cicatrizes. O fumo e o alcoolismo tem sido os vilões na vida de ambos. Os filhos, também envolvidos no mundo paralelo, não convivem amigavelmente com eles. A situação era tão crítica que o Antônio, em uma das discussões com a filha, foi atingido por um instrumento cortante que quase lhe custou a vida.
Durante o nosso contato com o casal, descobrimos que a Maria é natural do Ceará. Devido as mazelas e ambiente de pobreza que presenciávamos, meus pensamentos em algum momento viajaram até Quixadá/CE e também no interior do Pernambuco. Me recordei de “O Quinze”  e “Morte e Vida Severina”, que descrevem os horrores da seca no sertão. 
Essas obras, respectivamente de Raquel de Queiróz e João Cabral de Melo Neto, Ambas retratam a saga dos retirantes que partem do sertão em busca da sobrevivência. De Quixadá, parte o vaqueiro Chico Bento com a esposa e cinco filhos. Do interior do Pernambuco, parte Severino em direção ao litoral, mas que em seu sofrido trajeto encontra outros tantos Severinos que padecem do mesmo sofrimento que ele.
Infelizmente, nas diversas cidades brasileiras, há muitos Antônios e Marias, que à semelhança de Chico Bento e Severino padecem como no sertão. A situação encontrada hoje, fez arder em nossos corações o desejo de continuar a pregação do evangelho. Demos algumas diretrizes àquele casal e os convidamos para assistir ao programa da noite. E para a nosso surpresa, eles compareceram ao evento, onde puderam receber orientações e ouvir a Palavra de Deus. 
À semelhança de Severino que tenta tirar a própria vida em meio aos horrores da seca, da fome e da morte, o Antônio tentou fazer o mesmo devido a situação de pobreza que se encontra. Mora numa casa sem água e ainda conta os dias para o despejo do imóvel onde vive, pois tem 6 meses que não paga o aluguel. A sua renda é pífia e sobrevive dos materiais recicláveis que recolhe nas ruas.
De acordo com Melo Neto, ao Severino tentar se matar no Rio Capibaribe, eis que ele é amparado pelo carpinteiro José que relata o nascimento do seu filho. Talvez não imaginamos, mas há muita gente desesperada como Severino e o Antônio. Eles não sabem mais o que fazer. Acham que a morte é única solução, pois necessitam de alívio em virtude do sofrimento. 
Lembrem-se! O José somos nós que devemos nos apressar e apresentarmos o Filho que é a única ESPERANÇA para essas pessoas. Elas precisam de Jesus e você é a ponte para que cheguem até Ele. 
       





Evangelismo Integrado de Colheita

Por Célio Barcellos
Dos dias 13 a 18 de Outubro, um grupo de pastores de várias Associações da União Central Brasileira, estará participando do Evangelismo Integrado de Colheita (EIC). É uma Conferência que tem como objetivo alcançar a região metropolitana de São José do Rio Preto/SP.   Na verdade, o projeto se estenderá por três semanas. O EIC surgiu há quase 20 anos por iniciativa do Pr. Acílio, então Evangelista e Ministerial da Associação Paulistana, atualmente, presidente da Associação Paulista Oeste (APO).
Desde a noite de sábado (12), o Pr. Emílio Abdala, evangelista para todo o estado de São Paulo iniciou a série intitulada “O Ministério da Profecia”, com o intuito de proclamar a Palavra. A partir do dia 18, a continuidade estará por conta do Pr. Roberto Mota, evangelista da Associação Paulista Oeste e do  Pr. Luis Gonçalves, evangelista para a América do Sul e também apresentador do programa Arena do Futuro da TV Novo Tempo.

Com o auditório repleto de pessoas, as noites têm sido muito oportunas na vida dos presentes. O auditório do Colégio Adventista de São José do Rio Preto com capacidade para 900 pessoas, oferece conforto e praticidade para todos. Nas dependências da Escola os espaços estão sendo utilizados para atender as crianças, uma vez que os pais poderão ficar mais à vontade no auditório. Também há espaços em que equipes de especialistas oferecem o curso como deixar de fumar, oficinas de saúde, atendimentos jurídicos e psicológicos. 
Ao abrir a Bíblia todas as noites, Emílio Abdala, norteia a sua pregação destacando os eventos catastróficos do mundo, porém, aponta para um futuro de esperança. Quando a Palavra de Deus é aberta percebe-se o poder e autoridade que ela transmite. É tão maravilhoso ver pessoas aceitarem a Palavra e ao final de cada pregação irem à frente confirmando a aceitação através dos apelos.

Os servidores nos escritórios da UCB, da APO, irmãos de igreja e mais os pastores presentes, estão envolvidos para que tudo ocorra bem. No que se refere aos pastores, a rotina é a seguinte: das 8:30 às 12:30, capacitação na capela da APO, coordenada pelo Pr. Edilson Valiante ministerial da (UCB) e que tem como finalidade reciclar e oportunizar novas propostas para o evangelismo. 

Nas preleções diárias, os pastores têm recebido informações importantíssimas. O Pr. Acílio por exemplo, fez a abertura destacando lições da parábola do semeador (Mt 13). Uma frase marcante foi a seguinte: “não caia na lorota de que o mundo não quer a Palavra de Deus. O mundo está carente da Palavra. Jesus disse que a seara é grande.” Na sequência, Abdala discorreu acerca do Modelo Éfeso para alcançar as grandes cidades e destacou o sucesso da Igreja de New York (NY) ao seguir as orientações de Ellen White. As 20 igrejas plantadas em NY seguindo o discipulado bíblico, existem até o hoje.

Com uma metodologia prática, o Pr. Eden Serrano tratou de dizer o seguinte: “Evangelismo público não existe sem evangelismo pessoal”. Em outras palavras: todas as frentes da igreja precisam se integrar para salvar. Utilizando o texto de 1Cor 3:6,9, ele destacou que evangelismo deve ser um processo e não somente um evento e que se o olhar for mais objetivo para os que fazem a missão, o sucesso da multiplicação será garantido pelo poder de Deus. 
Finalizando, na sequência do almoço, os pastores saem para visitar com os estudantes de teologia do terceiro do UNASP que estão em estágio na região. Apesar de ser um tanto cansativo, pois não dá para respirar direito, a satisfação tem sido a maior recompensa em função do contato pessoal com os interessados. Orar com eles e logo em seguida ver o auditório repleto deles com fome da Palavra e de irmão comprometidos, não tem preço. 

Que Deus abençoe ricamente a UCB, todas as Associações, aos pregadores dessas três semanas, aos servidores, voluntários, pastores e a cada pessoa que está indo ao auditório.  Para honra e glória de Deus, muitas pessoas serão salvas nesse evangelismo e nos evangelismos que cada pastor fará em seu território, seguindo o modelo extraordinário que é o EIC. Ah, só uma informação! Os irmãos Gonçalves, Rafael Rossi e tantos outros evangelistas, tiveram no (EIC) a sua escola de formação. Que Deus abençoe a todos!





ARTIGOS ESPECIAIS -:)