tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

domingo, junho 21, 2020

Filled Under:

O professor evangelista

Por Célio Barcellos
Na manhã deste domingo (21/06), as redes sociais de ex-alunos do Seminário Adventista Latino Americano de Teologia (SALT/BA) republicavam a notícia do falecimento do pastor, evangelista e Prof. Luiz Nunes, o Luizão. Esse catedrático homem era uma lenda no Seminário. Ele foi um influenciador de milhares de pastores e evangelistas espalhados pelo Brasil e pelo mundo. Era um homem brincalhão e um entusiasta da mensagem da Cruz. 
As suas aulas acerca da maravilhosa graça de Deus corrigiram equívocos nas mentes dos alunos que ali passaram. Em sua clássica matéria “Evangelhos”, ele discorreu acerca do poder de Deus tendo como base a carta aos Romanos 1:16,17, que nós alunos ficávamos estupefatos. Particularmente, quando prego o sermão “Evangelho, o poder de Deus”, me lembro sempre dele e da sua importância para a minha compreensão da Justificação pela Fé.
Luiz Nunes era natural da Zona Norte do Rio de Janeiro. De comunista e boêmio  cheio da malandragem, como ele bem frisava, foi fisgado pelo amor de Deus ao passar pelas ruas da cidade nas noites de boemia, quando entrou num recinto e assistiu a série de Conferências ministrada pelo então pastor Enoch de Oliveira, conhecido como o príncipe dos pregadores adventistas brasileiro, o qual também foi presidente da Divisão Sul Americana (DSA), mantenedora da igreja na América do Sul. 

Com sede e fome do evangelho, esse cidadão carioca graduado em Letras, partiu para o o Educandário Nordestino Adventista (o saudoso ENA)  localizado em Belém de Maria/PE. A partir dessa decisão, a sua vida não foi mais a mesma. Sofreu a dor do divórcio, mas prosseguiu firme em seus objetivos. Conheceu a jovem Lia Nunes, companheira de sua jornada ministerial, com quem teve o Leonardo.
Foi pai do Alexandre e da Sara, filhos do primeiro casamento, também teve o Eduardo, que 
morreu ainda bebê. Imagino que a sua grande alegria, foi ver o seu caçula, Leonardo Nunes, abandonar a ideia de cursar Administração na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e ingressar no Seminário, para ter aulas com o próprio pai. Certamente foi um orgulho ver o filho formado, iniciar o ministério e alçar vôo para a Andrews University (EUA), cursar o doutorado e assumir a cadeira de professor e diretor no mesmo Seminário, a “alma mater” de ambos. 
Quem foi aluno de Luiz Nunes jamais se esquecerá das broncas e gritos coléricos de um indivíduo que lutava contra a sua natureza. Mas que na expressão “segura malandro”, desmontava a todos com o seu jeito brincalhão. Particularmente, levei um tapa dele nos corredores do SALT que me deu vontade de revidar (Rssss). Foi um susto, pois eu não estava esperando. E quando vi que era ele, relevei. 

Para efeito de informação, Luiz Nunes foi o primeiro pastor adventista no Brasil a receber o titulo de doutor em teologia por uma Instituição de ensino ligada à igreja brasileira. Certamente foi um momento marcante para ele e para os estudos avançados em teologia adventista no território nacional. A sua tese, Crise na Igreja apostólica e na Igreja Adventista do Sétimo Dia, foi defendida no Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP).
Além de pastor, professor e diretor do Seminário, Luiz Nunes foi um grande evangelista. Passou muitos meses longe da família em suas campanhas pregando o evangelho e ganhando muitas almas nas regiões nordeste e norte do Brasil. Foi o finalista com Alejandro Bullon para o programa televangelista "Está Escrito", iniciado no Brasil nos anos 90. Era um exímio pregador! Quem teve a oportunidade de vê-lo pregar, sabe do que estou falando. 

Portanto, fica na memória a história de um grande homem que permitiu o Espírito Santo quebrantar o seu coração e fazer dele um apaixonado pela missão do evangelho. Em uma das suas falas em sala de aula, me lembro dele dizendo que jamais gostaria de morrer primeiro do que a sua esposa, por uma questão de preocupação e cuidados com a saúde dela. No entanto, Deus é quem tem o controle de tudo. Ele foi primeiro! Uma coisa é certa: Deus não somente cuidará da Prof. Lia, bem como da prole Nunes. 
Que o Senhor Deus conforte o coração do familiares e amigos neste momento difícil! 
Até a volta de Jesus!  

2 comentários:

  1. Nós discípulos deste grande mestre e doutor, carregamos a satisfação e memória de uma pessoa humilde, sábia, altruísta, nunca se engrandeceu, sempre transparente, não tinha medo ou vergonha de dize e reconhecer seus erros.

    Fica em nossa memória as grandes lições de vida aprendidas em sala de aula e na vida prática.

    ResponderExcluir