tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

terça-feira, novembro 05, 2019

Filled Under:

Respeito e paciência com as pessoas


Por Célio Barcellos
Recentemente, veio à minha memória um momento horrível da minha infância. No início dos anos 80, na cidade de Pedro Canário norte do Espírito Santo, em um ato covarde da minha parte, provoquei um vendedor de picolé mais ou menos da minha idade. Morei um período naquela cidade por ocasião do êxodo rural que os meus avós decidiram fazer ao partirem da localidade de Córrego Grande, sertão de Itaúnas/ES.
Pois bem! O garotinho com aquela caixa de isopor levada ao pescoço gritava: “Olha o picolé!” Naquele momento em tom de deboche retornei: “De leite de mulher, nesta rua ninguém não quer”. Aquele garoto, que batalhava para vender o seu produto, foi tomado por um sentimento e retrucou em defesa do seu marketing verbal. Infelizmente, acabamos brigando e eu derrubei-o quebrando a sua caixa e fazendo o mesmo derramar lágrimas.
Dentro de mim, ao ver aquela cena, sai em disparada para casa. Entrei no meu quarto e cai em lágrimas. A face daquele menino, vendedor de picolé semelhante a mim, perturbava-me. Não me recordo se tentei ajudá-lo. Só sei que me senti o pior garoto do mundo. Por muito tempo, vinha à memória, o rosto daquele pequeno trabalhador que eu feri.
Hoje, ao escrever esse texto, recordo-me do incidente, porém, não do rosto daquele menino. Não sei qual o seu nome e nem o seu paradeiro. Se eu tivesse a oportunidade, o abraçaria e lhe pediria perdão. Mas daqui a pouco, o farei em oração e pedirei a Deus que cuide dele e de sua família por onde andarem. Espero que ele tenha tido um futuro brilhante e se porventura se lembrar desse momento triste, que ele me perdoe. 
Eu já estava com vontade de escrever esse texto há algum tempo e hoje, fiquei ainda mais motivado após assistir a um vídeo da deputada portuguesa Joacine Katar Moreira (portadora de “gagueira") discursando no parlamento. Fiquei muito surpreso com o respeito e paciência dos seus colegas de parlamento. Eles não esboçaram reprovação, muito menos deboche ou bullying com aquela mulher.
Normalmente, a classe política é desprestigiada em função dos escândalos da politicagem e da corrupção. Porém, é preciso considerar que num ambiente político  não ocorrem somente coisas ruins, mas ótimos benefícios para o bem comum. Inclusive essa bela atitude de valorizar quem tem dificuldades e que não pediu para nascer com elas. 
E se fosse na igreja? Você riria, zombaria, gravaria um vídeo e postaria nas redes sociais? Qual seria a minha e sua atitudes? Se você e eu, não tivermos a atitude desses políticos, ainda não compreendemos direito o que é amar o próximo. Se o mundo precisa de bons políticos, a igreja necessita de ótimos cristãos. 
Apesar da minha consciência dizer que fui um covarde com aquele garoto do picolé, ela também me enche de esperança por eu abominar qualquer ato vexatório a alguém. Somos todos seres humanos e não devemos praticar nenhuma atrocidade a qualquer pessoa. Seja ela um vendedor de picolé ou uma parlamentar com dificuldades na fala.
#respeito  #paciência 


0 comentários:

Postar um comentário