tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

sexta-feira, outubro 18, 2019

Filled Under:

Há muito fruto na seara


Por Célio Barcellos
Nesta sexta-feira ao retornar de São José do Rio Preto/SP, observei os pastos verdejantes e as diversas plantações. Não tive como não associar o que eu observava com o conteúdo do Evangelismo Integrado de Colheita (EIC). A linguagem do semeador que saiu a semear (Mt 13:3) latejava o meu cérebro, não como algo perturbador, mas como um privilegio de viver do evangelho e compartilhar a Palavra. 
Pastores da UCB presentes no EIC 2019
Sem deixar de reconhecer que o privilégio vem acompanhado da responsabilidade, até porque, quem designou a mim e a tantos outros, foi o Semeador - Mor, Jesus Cristo. Continuei a refletir que a minha obrigação nesse processo é encarar o terreno, preparar o arado, motivar os ajudadores e partir para semear. Se o Senhor Jesus confiou a tarefa é porque mais do que ninguém, Ele sabe  que haverá colheita. 
Eu pude notar isso nitidamente durante esse período em São José do Rio Preto. Todas as noites, pessoas lotavam o auditório. Até o momento, cerca de 500 visitas estiveram presentes no local. Dessas, muitas estão frequentes. Há pessoas que entram num ônibus e viajam 60 Km todas as noites para ouvir a Palavra de Deus. Realmente é um milagre! 

Em um mundo cheio de entretenimento e repleto de tecnologia, de fato é um milagre ver pessoas de todas as idades, irem assistir um pregador. Na verdade, essas pessoas não estão indo por conta própria somente, elas estão sendo conduzidas pelo Espírito Santo. Não podemos desanimar! Devemos ter a coragem de abrir a Palavra de Deus! Onde a Palavra for aberta, haverá pessoas dispostas a ouvir. 
Continuando a olhar da janela enquanto os pastores Raimundo Nonato e Rennan Lenovo conversavam durante o trajeto, eu tirava algumas fotos da paisagem. Além de fazer conexão com as mensagens, também me lembrava dos meus tempos de juvenil, quando acordava de madrugada e seguia na carroceria de caminhão em direção ao trabalho braçal. Já colhi feijão, milho, capinei lavouras, cortei cana e até ajudei numa carvoaria, período em que parte do meu dedo foi esmagado.

Confesso que não aprendi muito da lavoura, mas o suficiente para entender que o alimento sobre a mesa das pessoas é resultado de muito trabalho, pois eu experimentei o que é acordar de madrugada, preparar a marmita e partir para dias de sol escaldantes e de chuva torrenciais. Mesmo o trabalho sendo desconfortável e desgastante, o conjunto formado pela luz, água, solo, adubos e trabalhadores, produzia a sinergia para a colheita.
Isso quer dizer que, no contexto da pregação, nada é fácil. Não espere que a natureza por si só conduza as pessoas para o evangelho. Existe uma enorme seara para poucos ceifeiros (Lc10:2) No entanto, esses poucos trabalhadores usados por Deus, farão coisas extraordinárias. Eles só precisam acreditar e encarar o arado, pois quem os enviou, não foi qualquer um, mas o Dono da seara.


0 comentários:

Postar um comentário