tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

domingo, junho 02, 2019

Filled Under:

Evangelismo urbano, mais que urgente


Por Célio Barcellos
Ao perder o sono nesta madrugada (02/06), decidi dedicar um tempo em oração pelas cidades. Aproveitando o ensejo, iniciei a produção desse texto acerca da missão nos centros urbanos. Especialmente por perceber a urgência que a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) está dedicando ao evangelismo nas cidades. 
Após a participação em dois dias no #Compassion2019, notei o que a visão de uma pessoa apaixonada pela missão pode causar. Falo do Jair Miranda. Um jovem pastor, natural da Paraíba, mas que serve na Associação Paulista Leste (APL) e idealizador do #Compassion. O projeto foi iniciado há quatro anos com o objetivo de capacitar líderes para alcançar a região da (APL), pois 7 milhões de pessoas vivem naquela geografia. 
Com o apoio da Administração da (APL), o evento local ganhou força e foi aberto para que pastores e leigos de outros lugares do Brasil pudessem participar. Em sua 4a edição, percebe-se o interesse de pastores, dos Campos administrativos e até mesmo da Divisão Sul Americana (DSA), uma vez que ano passado e no atual, a mantenedora da IASD, compareceu ao projeto dando a sua contribuição.  
Duas obras recentes produzidas pela Igreja acerca da missão nas cidades
Pois bem, em minha primeira ida ao #Compassion, notei a organização e intencionalidade  com que é feito esse, que imagino ser, o maior treinamento anual para evangelismo urbano no contexto adventista brasileiro. O alto nível dos convidados, mostra a seriedade desse MOVIMENTO. Uma pena ter assistido apenas aos dois dias iniciais, pois não vivenciei os workshops, que é onde a coisa acontece. É a oportunidade de ver projetos desenvolvidos pelo Brasil. 
As falas dos palestrantes foram muito oportunas! Gilson Brito, orador de A Voz da Profecia, fez a abertura com um devocional conclamando os pastores para glorificarem a Deus e enfatizou o chamado para inspirar pessoas e não somente impressioná-las; Agnaldo Guimarães, falou acerca da “cultura juvenil”; Arthur Stele, disse que a “missão sempre possuirá desafios. Ela nunca foi e nunca será uma obra fácil”; Emílio Abdala, alertou quanto aos perigos de copiar métodos sem examinar o contexto e Elias Brasil, discorreu com propriedade o assunto: “A cidade na Bíblia”. 
Na fala de Brasil, três coisas bem destacadas: 1) As pessoas vivem na cidade; 2) A igreja precisa evangelizar as cidades; 3) Existem os que possuem preconceito contra a cidade. Apesar da cidade ser um local onde o pecado reina de forma acentuada, Brasil destaca que a “igreja precisa confrontar o pecado na cidade”. Ele ainda destacou que “Jesus nasceu numa cidade, cresceu numa cidade e morreu numa metrópole - Jerusalém”. 
Assim, mesmo que na mentalidade de alguns, há o acentuado desejo de que a igreja se retire da cidade e vá para o campo (não há nenhum problema em ir para o campo), há na mente de tantos outros, o compromisso de evangelizar a cidade, pois afinal, a maior parte da população do mundo está na cidade. 
Momento de oração entre os pastores


Sem contar que, no contexto do povo de Deus, a história começa com um jardim (Éden) e termina com uma cidade (Nova Jerusalém). Deus ama as pessoas que moram na cidade e a igreja precisa também amar. Até porque, se cremos em um evangelho eterno, a ordem é pregar “a cada nação, e tribo, e língua, e povo…” (Ap 14:6). E o povo mora tanto nos interiores quanto nas pequenas, médias e grandes cidades. 




0 comentários:

Postar um comentário