tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

sexta-feira, setembro 07, 2018

Filled Under:

Histórias que nos motivam

Irmãs Avelina e Lord e irmão Sebastião

  
Por Célio Barcellos


      Por volta do pôr do sol dessa sexta-feira (07/09), juntamente com o irmão Sebastião, membro na Igreja de Cobilândia II Vila Velha-ES, visitei as irmãs Avelina e Lord. As duas muito simpáticas, simples e repletas de fé. A irmã Avelina passou por uma cirurgia e estava tendo a companhia de sua irmã para auxiliá-la.
     Durante as conversas, elas me relataram que nasceram na localidade de Córrego do Brejo, próximo a Lajinha de Pancas, no noroeste do Estado do Espírito Santo. Os seus pais, Miguel Batista Amélio e Luzia Maria Amélio, tiveram os seguintes filhos: Dorvalina, Jaconias, Vitalina, Laudelina, Adelina, Vivaldina, Avelina e Adonias.
    O que me chamou a atenção foi que apesar das dificuldades, os pais criaram os filhos no evangelho. Havia muita dificuldade para se chegar a uma igreja Adventista à época. Era preciso caminhar por cerca de duas horas todos os sábados para congregar. Como era muito distante, aos domingos eles frequentavam a igreja Presbiteriana e também a Batista. 

Pais: Miguel Batista Amélio e Luzia Maria Amélio

Nunca perderam a fé e sempre conviveram harmoniosamente com os irmãos das demais igrejas. Um dos pastores adventista que atendia a região à época chamava-se Godofredo. Esse é o que elas conseguiram se lembrar bem.
Por falta de oportunidade e em função das muitas dificuldades da época não estudaram. O que sabem ler, desenvolveram com a leitura das Escrituras. Louvado seja Deus! 
Apesar da mãe (Luzia M. Amélio) não saber ler, ela decorou o Salmo 91 e sempre recitava para os filhos e em oportunidades testemunhava para as pessoas.  O pai nunca se batizou, mas nunca deixou de ir à igreja e conduzir a todos no caminho.
Finalizando, quero dizer que, histórias como essa certamente causam nostalgias em quem viveu cada detalhe. Mas confesso que me causam impacto a cada visita pastoral que tenho oportunidade de vivenciar. O que devo fazer é pedir a Deus que tenha misericórdia de mim e que me ajude a prosseguir com fé e disposição no cuidado do rebanho e da expansão do Reino de Deus.

Maranatha! 

0 comentários:

Postar um comentário