tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

quinta-feira, junho 28, 2018

Filled Under:

Seja álacre, porém não desrespeitoso

http://www.revistaadventista.com.br/blog/2015/02/10/os-extremos-de-paris/
Foto: portalomandacaru.com.br
Por Célio Barcellos

O povo brasileiro é bem-querido ao redor do mundo por sua espontaneidade e sorriso alegre. No entanto, a Copa do Mundo na Rússia revelou um lado totalmente desagradável. Infelizmente, piadas de duplo sentido e até mesmo de humilhações são constantes em nosso país. Quem não se lembra por exemplo, da piada ofensiva de um comediante, se referindo à filha de uma cantora de grande fama no Brasil?
Pois é, a cantora entrou na justiça e foi indenizada e esse camarada caiu no ostracismo. Agora, quantos anônimos espalhados pelos rincões desse Brasil padecem humilhações, sofrem calados ou até mesmo entram em paranóia devido a tamanhas agressões emocionais ou até mesmo físicas? Ridículo por exemplo, o que fez uma turba de mauricinhos em Brasília quando atearam fogo num índio da etnia pataxó e trataram como uma piada.
Ridícula a atitude de irresponsáveis, que atravessaram o Atlântico para humilhar mulheres russas com piadas e palavrões ofensivos. Envergonharam o país com uma mostra de grosseria, incultura e ofensas humilhantes, ainda que extraindo risos da platéia.  A irresponsabilidade foi tamanha, que além desse ato totalmente repudiante, eles nem se quer, se deram conta de que estavam numa Pátria estrangeira. 
Na Rússia há movimentos ultra-nacionalistas que orientam as mulheres a não se envolver  com pessoas de outra nacionalidade. Imagina se ocorresse uma retaliação por parte dos russos e esses brasileiros de sorrisos escancarados, derrepente, passassem a suar frio com a possibilidade de possíveis processos ou coisa pior? Apesar de cairmos na gargalhada com algumas piadas, muitas delas ofendem pessoas, culturas e religiões. 
Quem não se lembra do incidente ocorrido ao jornal satírico Charlie Hibdo, quando uma charge custou a vida de algumas pessoas? (Ver aqui). Fazer piadas com quem você não conhece, pode ser um perigo inimaginável. Imagine por exemplo, se essa Copa acontecesse numa Rússia em plena Guerra-Fria e que o Kremlin se sentisse ofendido com essa situação? 
Na cabeça de alguns, o fato de no Brasil a permissividade ser mais tolerada, dá a eles o direito de pensar que em outros lugares também seja assim. Na realidade, um pouco de desconfiômetro já seria o suficiente para pelo menos evitar situações como a ocorrida na Rússia.
Assim sendo, como grande parte dos brasileiros, também gosto de futebol. Porém, entre uma Seleção multicampeã, capaz de encantar o mundo e fazer tremer o adversário, prefiro um país educado onde os seus cidadãos sejam conhecidos não como malandros e sim como embaixadores civilizados, ricos em educação e capazes de orgulhar a nação e respeitar o mundo.
Seja álacre! Mas educado sempre. 

4 comentários:

  1. Essa abordagem é muito oportuna para o momento que vivemos, sobretudo para os nossos adolescentes, para que observem e cresçam cidadãos mais adequados à essa nação tão querida pelos que não vivem entre nós.
    Parabéns pela abordagem!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Erasmo! Obrigado por sua apreciação.

      Excluir
  2. Concordo, parece-nos que o século XXI está carecendo de respeito pelo outro, principalmente, por parte de muitos jovens...

    ResponderExcluir