tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

sábado, julho 18, 2015

Filled Under:

Lições de uma viagem






Por Célio Barcellos

Ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Washington, DC.,  na manhã de domingo, 05 de julho, com destino a San Antônio no Texas, tive uma boa impressão dos americanos. É claro que antes, precisei, como todo cidadão que adentra aquele país, passar por revistas no Raio X e na polícia de imigração. Durante a viagem, tive, a simpática companhia do jovem Mauro Mattos, Carioca, Mórmon, funcionário de uma empresa de telecomunicações e que vive há cinco anos nos (EUA).

Ali mesmo, enquanto gente de diferentes países chegava, comecei a pensar na capacidade que os americanos tem de exercer a liberdade. Mesmo após atentados e ameaças de terrorismos, não impedem que cidadãos de nacionalidades mulçumanas, entrem em seu país. Procuram separar as coisas, pois compreendem, que nem todo mulçumano é terrorista, mas um cidadão do mundo.

Pois bem, após todo o procedimento, me assentei próximo ao portão de embarque para o Texas e ao pôr o celular para carga, me dei conta de que a tomada era incompatível com a do aparelho. Logo, sem que eu pedisse, vi uma mão estendida me oferecendo ajuda nesse sentido. Era uma americana bastante gentil e solidária.

Ao seguir para San Antônio, onde passaria uma semana assistindo a “Conferência Geral” da Igreja Adventista do Sétimo Dia, fui refletindo nesse aspecto solidário, mas também pude perceber um pouco do estilo de vida americano. Durante o vôo, o passageiro ao meu lado, estudante de medicina, logo, começa a comer um sanduiche recheado de ovos e mais doces. Trocamos algumas palavras e seguimos.

Em solo texano, sozinho e ansioso para chegar ao hotel, troquei o taxi pelo ônibus, por questões econômicas. No entanto, ao pagar a passagem, o motorista não tinha troco para $50 dólares (não tem cobrador como no Brasil. Você insere o valor na máquina e tudo acontece ali). Lembrei de $ 1,00 na carteira, mas faltava centavos de dólar. Um passageiro por nome Noé, vendo a minha aflição, completou o restante. Que alivio!!

Agradeci ao Noé e fomos conversando, ou tentando conversar, uma vez que preciso percorrer muitas milhas para me desenrolar melhor no inglês. Mas ele foi muito amistoso, estava indo para o trabalho, era policial no Texas.

Antes de ir para o hotel, passei no Centro de Convenções, onde as Instituições adventistas divulgavam os seus produtos. Comecei a encontrar amigos e ter contato com irmãos de diversas nacionalidades.                       

Após descansar um pouco no hotel, sai para comer algo. E aqui faço uma observação: Se você tem planos de sair do Brasil e ir para os EUA, precisa se adaptar bem, pois o feijão e arroz diários, são escassos, exceto em restaurantes brasileiros, que cobram cerca de 35 dólares a refeição. Tem opções mais baratas, porém, é preciso se deslocar de carro, pois fica tudo afastado do centro. É preciso também, boa interação com as leis, pois a polícia brota da terra. A polícia fica no carro e na rua e não em guaritas como no Brasil.

Outra coisa! Tudo é pago. Americano realiza sonhos e cobra por eles. Como eu estava há 3 horas de Houston, e as estradas são excelentes, não perdi a oportunidade de conhecer o Museu da NASA. Juntamente com amigos de ministério, passamos conhecendo o complexo que controla os lançamentos para o espaço. Por 23 dólares, você pode ver a história da exploração espacial.
                                                                
Algo levado a sério pelos americanos,  é a acessibilidade e respeito. É muito comum, ver cadeirantes circulando, pois tudo é pensado para eles também. Numa fila, aguarde a sua vez, pois não é admissível querer passar na frente do outro. No trânsito, não se ouve buzinaços, rachas, e carros estacionados na rua. O pedestre é respeitado. Nos cruzamentos sem sinais, a preferência é para quem chegou primeiro. É tudo muito espaçoso, bem planejado. E em todo lugar, há bandeiras do pais. São extremamente patriotas! Outro detalhe: Tudo que se compra é emitido nota fiscal. Até o camelô trabalha na legalidade. Fazem questão de devolver até os centavos. E se precisar devolver o produto, retorne com a nota fiscal e eles devolverão todo o seu dinheiro, sem mal humor. Impressionante!  Porém, como em qualquer lugar, existe os contrastes. Vi bêbado, pedinte, porém, nada de violência. Andei à noite, tranquilamente

                                                    
Pois bem, hora de voltar para casa! Para não perder o voo, precisei tomar um taxi e desembolsar 25 dólares. Durante o retorno, agradecendo a Deus pela viagem, compreendi que viveria nos EUA, somente para estudar. No mais, uma semana com a família ou no máximo 10 dias, já seriam suficientes, pois não tem nada melhor do que pisar em solo pátrio e respirar o ar de sua terra. Mas é isso! Foi bom! Obrigado povo americano!













6 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá amigo Denis! Desculpe a demora. É que não estava sabendo como responder aos comentários. Que Deus o abençoe amigo!

      Excluir
  2. Parabéns garoto. Viajar ajuda a abrir os olhos para novos horizontes e nos permite trocar as vestes da alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade grande Belo! Consegui descobrir hoje como responde do blog.
      Desculpa a demora na resposta.
      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Pastor Celio Barcelos.

    Foi um prazer viajar o seu. Concordo com tudo que dissestes, nada melhor que nosso feijao com arroz, mas recomendo a todo cidadao Brasileiro o do mundano a conhecer a cultura americana, e recomendo muito mais e vir estudar aqui. E depois refletir e pegar o que eh bom, e aplicar para fazer um mundo ou Brasil melhor. Nem tudo nos USA eh bom, mas tem muita coisa boa que podemos aprender, assimilar, aplicar, e como todo americano CRIAR. Acredito que sim, nos como Brasileiros podemos criar.

    Mauro Mattos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo Mauro, boa tarde! Que alegria poder receber o seu comentário. Só me desculpe pela demora na resposta. È que hoje, que consegui descobri como responder. Se porventura, acessar o blog e opnar algo, te promento que não demorarei em responder.
      Ainda vou preparar um texto específico sobre aquele bate papo nosso. Se me permitir, utilizarei a sua foto.
      Que Deus abençoe a sua vida, sua família, seu trabalho e seus estudos.
      Estou me programando para tentar passar uns 20 dias estudando ingles.
      Quem sabe nos encontraremos!
      Um grande abraço!

      Excluir